figurinhas juntas.png
Andrea Nero_Resize.jpg

Possui 15 anos de experiência na área de comunicação junto a produtoras e finalizadoras de cinema, publicidade e entretenimento, onde implantou novos negócios nas áreas de entretenimento e realizou curadoria de projetos para a área cultural. Coordenou e conduziu a finalização de projetos como os Longas “Cabeça a Prêmio”, “Novela das 8”, “Raul o Início, o fim e meio”, “Reflexões de um liquidificador”, “O céu sobre os Ombros”, “Estamos Juntos” e “Proibido Fumar”. Na OCCHIO NERO Produções, desde 2014, Andrea Nero presta consultoria em diversas áreas culturais como: curadoria de projetos, oficinas

 

, finalização de curtas e séries para TV. Iniciou em 2014 as filmagens do curta documentário “A loucura de cada um”, em montagem para finalização. Em 2015 dirigiu e roteirizou o curta documentário "Marrocos" e iniciou o projeto do longa "As cartas de meus pais", documentário onde assina a direção e argumento, com as primeiras cenas gravadas em junho de 2015, no Rio de Janeiro. Neste momento, está em pesquisa do projeto “As Cartas dos meus pais” e colocando o projeto em lei.

 

MARROCOS
Direitos Humanos
8'
2015
brasil
SP
Marrocos (SP) – 2015 – Doc – 8 min.

 


Direção  Andrea Nero e Iajima Silena
Roteiro  Andrea Nero
Produção  Bruno Tarpani Stephan Sapir Sabbá Renan Dequêch Iajima Silena Andrea Nero
Direção de Fotografia  Bruno Tarpani
Som Direto  Renan Dequech
Direção de arte | abertura e cartelas  Alexandre Eschenbach
Trilha original / finalização e mixagem  Paulo Vaz
Montagem  Stephan Sapir Sabbá e Giuliano Agnelli
Apoio  Aictv - Academia Internacional de Cinema e Tv Psycho N' Look
Orientação  Marcela Lordy e Yuri Amaral


Sinopse 

O espaço do antigo Cine Marrocos é hoje ocupado por cerca de 500 famílias organizadas

em torno de um movimento social pela habitação. O mesmo espaço há décadas atrás

era cenário de importantes episódios da cinematografia brasileira. A palavra Marrocos transforma-se

em ponte possível de acesso à culturas que possuem a prática nômade e o cenário desértico como elementos

marcantes de um imaginário praticamente atemporal. O documentário utiliza-se destes elementos

para abordar – privilegiando aspectos sensoriais e imagéticos – as realidades provisórias que atravessam

a história de vida do Cine Marrocos e de seus atuais moradores. Marrocos é um documentário

que aborda o tema da transitoriedade, criando relações com o imaginário do nomadismo que se identifica

com o atual contexto urbano.